Páginas

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Suspirar


Suspiro profundo
Como quem deseja esvair-se
Embora opaco por sua natureza inominável
Quase sempre invisível por seus propósitos 
Toma-me como sua potencialidade desesperadora

Suspiro profundo
Como quem deseja ver-se de perto
Como quem, embora próximo de si mesmo
Deseja um caleidoscópio
Como quem ver-se distante do mais improvável
O eu

Suspiro profundo
Como quem deseja viver
Mesmo invisível, indizível e desprezível
Pois o suspiro (e nem precisa ser profundo)
É híbrido, amalgama de contradições...
 
Não é preciso entendê-lo
Apenas sentir...

Um comentário:

  1. Muito legal. Gostei deste seu novo formato poético, no deixa um novo modo de refletir sobre as questões.

    Até tentei fazer um relação da idéia de suspiro com a idéia de mundo moderno!

    Suspiro é uma excelente metáfora para mundo moderno.

    um abraço!!

    ResponderExcluir